TRE inicia recadastramento


da Redação do pe360graus.com

A partir desta segunda-feira (05), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) começa a fazer a revisão eleitoral dos 23 municípios pernambucanos que apresentaram um número de eleitores muito próximo da quantidade de habitantes.

A ação será feita até o dia 4 de dezembro. Ao todo, 331 mil pessoas, em todo Estado, terão que apresentar Carteira de Identidade, Certidão de Nascimento e comprovante de residência e convencer o TRE de que moram na cidade onde votam.

Quem for convocado e não comparecer ou quem não conseguir comprovar que mora na cidade pode ter o título cancelado.

ELEITORES DEMAIS
Entre as cidades que terão o número de eleitores revisados estão: Santa Cruz da Baixa Verde, no Sertão, com 10.018 habitantes e 9.368 eleitores; Frei Miguelinho, no Agreste, com 12.149 habitantes e 10.890 eleitores. Terezinha, também no Agreste, com 5.939 habitantes e 5.342 eleitores. Na Zona da Mata, Ferreiros, com 10.579 habitantes, tem 9.253 eleitores; e Tracunhaém, com 12.734 habitantes e 10.198 eleitores.

Também passarão por revisão os municípios de Afrânio, Águas Belas, Belém do São Francisco, Feira Nova, Flores, Ibimirim, Itapetim, João Alfredo, Lajedo, Mirandiba, Mouriândia, Paranatama, Santa Cruz, Sertânia, Serra Nova, Serinhaém, Venturosa e Verdejante.

De acordo com o corregedor do Tribunal Regional Eleitoral do Estado, desembargador Carlos Moraes, a suspeita de irregularidades nestes municípios deve-se ao número de eleitores, que ultrapassa 80% da população total. A mesma situação se repete em mais de mil municípios de todo País.

“O que acontece, principalmente em época de eleições municipais, é a transferência do título de eleitor de forma irregular. Os políticos levam os eleitores de cidades vizinhas para votarem em municípios de seu interesse”, explicou o corregedor. Ainda segundo ele, a recontagem será feita em todo o Brasil em 1.128 municípios.

About these ads

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.