Obra no Paiva pode ser impedida


Rodrigo Montenegro
Folha de Pernambuco de 25/03/2008

A Associação de Defesa do Meio Ambiente de Jaboatão dos Guararapes entrou com uma ação, ontem, no Ministério Público Estadual, para embargar a obra do Pólo Turístico Praia do Paiva. Segundo o presidente da entidade, Manuel Tabosa Júnior, falta uma estudo de impacto ambiental, já que a obra está situada no encontro do rio Jaboatão com a Ilha do Amor. O Projeto Pólo Turístico Praia do Paiva é resultado de uma parceria público-privada (PPP) estabelecida entre o governo do Estado e a iniciativa privada, que receberá um investimento de R$ 1,6 bilhão.

“Estamos acionando a Procuradoria do Meio Ambiente de Jaboatão dos Guararapes para que obriguem a realização dessa avaliação ambiental. Além disso, também queremos que todos os pescadores e as comunidades locais sejam ouvidas”, ressaltou. Conforme a associação, cerca 800 famílias de pescadores da colônia de Barra de Jangada vivem do pescado da área de proteção.

Entretanto, em outubro de 2007, Agência Estadual de Recursos Hídricos (CPRH) concedeu licença de instalação do acesso viário à Reserva do Paiva. Quando pronta, a obra terá uma ponte de 320 metros de extensão sobre o rio Jaboatão, ligando Barra de Jangada, em Jaboatão dos Guararapes, à Praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho, e uma via de 6,2 quilômetros de extensão.

“Sei que um estudo de impacto ambiental foi feito pelo lado do Cabo de Santo Agostinho. Mas vamos verificar a situação da obra em relação a Jaboatão”, afirmou o promotor Flávio Falcão.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Jaboatão. Bookmark o link permanente.