Censo 2010 mostrará Brasil envelhecido e com menos crianças nascendo, prevê presidente do IBGE


Roberta Lopes
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Censo 2010 deverá mostrar um país com mais pessoas idosas e também uma menor taxa de mortalidade infantil. A estimativa é do presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Eduardo Pereira Nunes, que concedeu entrevista hoje (4) ao programa Brasil em Pauta, da Rádio Nacional do Rio de Janeiro.

De acordo com ele, além de mostrar uma população mais envelhecida e uma taxa menor de mortalidade infantil, o censo deste ano também mostrará que a taxa de natalidade diminuiu. “Vamos ter muitos brasileiros com mais de 100 anos. Vamos perceber uma sociedade com o número de crianças que estão nascendo diminuindo. Continuam a haver nascimentos, mas as taxas são cada vez menores. E tão importante quanto ter redução do número de crianças que nascem é a redução da mortalidade infantil”, explicou.

Nunes disse que essa nova realidade terá de ser seguida por novas políticas públicas, que deverão ter como base as informações do Censo 2010. Ele exemplificou como necessidades a serem supridas a construção de casas adaptadas para pessoas idosas e um transporte público de fácil acesso. “Esse censo vai mostrar um novo Brasil e, com essa nova realidade, políticas públicas terão de ser tomadas. Numa sociedade que envelhece, nós teremos que nos preparar”, disse.

Até outubro, os recenseadores vão visitar 58 milhões de municípios, inclusive localidades em áreas de risco, como favelas, e localidades rurais. O instituto desenvolveu uma estratégia específica para chegar a esses locais. Nas áreas de risco, o órgão procurou selecionar recenseadores que sejam da comunidade e orientou-os a procurar as lideranças locais para fazer a divulgação do censo.

Nas áreas rurais, o IBGE também procurou selecionar pessoas do município. “Os recenseadores da área rural remota contam com meio próprio de transporte ou o IBGE criará facilidades de transporte para levar o recenseador a essas áreas. E não é só na área rural, é também na Amazônia, no interior da floresta, nas comunidades indígenas. E para cada uma delas temos uma logística preparada. Não há município que não tenha recenseador”, disse o presidente do IBGE.

Nunes alertou que o instituto não enviará e-mails para ninguém pedindo que responda o censo pela internet. “O IBGE não vai enviar e-mail para a pessoa dizendo que ela foi sorteada para responder pela internet. O IBGE não tem o e-mail de ninguém”, garantiu.

Desde o dia 1º deste mês os recenseadores estão nas ruas para visitar as residências dos cidadãos.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Cidadania. Bookmark o link permanente.