Justiça do Rio condena Garotinho e Álvaro Lins, diz MPF


Além dos dois, outras 8 pessoas foram condenadas e 4 foram absolvidas.
Os dez réus podem recorrer da condenação em liberdade.

Do G1 RJ

O Ministério Público Federal divulgou nesta terça-feira (24) que o ex-governador do Rio Anthony Garotinho e o ex-deputado estadual Álvaro Lins, além de outros oito investigados, foram condenados pela Justiça.

De acordo com o MPF, a 4ª Vara Federal Criminal condenou o ex-deputado a 28 anos de prisão – por formação de quadrilha armada, corrupção passiva e lavagem de bens – e o ex-governador a dois anos e meio de prisão por formação de quadrilha, convertidos a serviços à comunidade e suspensão de direitos.

Todos os réus podem apelar da decisão em liberdade. O Ministério Público Federal (MPF) denunciou as dez pessoas como integrantes de uma quadrilha que usou a Polícia Civil do Rio de Janeiro para cometer crimes como corrupção e lavagem de bens. Quatro outros réus investigados foram absolvidos.

O G1 entrou em contato com Eduardo Mayr, advogado de Lins, que disse que vai recorrer da decisão. O G1 deixou recado no escritório do advogado de Garotinho, Sérgio Marzillo, e aguarda resposta.

Operação Gladiador

O MPF informou que o processo resultou da continuação de apurações da operação Gladiador, desencadeada pelo MPF e Polícia Federal, da quebra de sigilo fiscal de Álvaro Lins e de investigações posteriores de documentos colhidos pela PF. Segundo o MPF, a Justiça atestou a prática de crimes como facilitação de contrabando – para o MPF a exploração de caça-níqueis pelo grupo de Rogério Andrade não era reprimida – e corrupção ativa e passiva.

“A sentença é positiva e reflete uma conquista no combate à corrupção e à impunidade no país. Não obstante, o MPF já recorreu, entre outras coisas, para aumentar a pena de alguns dos condenados, entre eles o ex-governador Anthony Garotinho”, diz o procurador da República Leonardo Cardoso de Freitas.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Judiciário, Política. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Justiça do Rio condena Garotinho e Álvaro Lins, diz MPF

  1. Depois ainda dizem que o crime não compensa,não compensa uma ova, no Brasil sempre compensa.
    O cara é político rouba em quatro anos o que nenhum ladrão comum (mesmo bom) rouba em dez
    O cara é juiz, desembargador, ministro, rouba o suficiente para matar a fome da população de duas cidades do sertão por cinco anos.
    Penas:
    1) O político não vai para a cadeia, vai pagar prestando serviços ao povo que roubou, claro pagando em cestas básicas (com o dinheiro que roubou), indo uma vez por semana numa creche dar palestra, um exemplo de honra e dignidade.
    2) O juiz é aposentado recebendo todos os vencimentos como sempre, regalias e mordomias.
    Nessa zona que chamam país o crime compensa.
    Antes que esqueça; não compensa para roubo de galinhas, bancos, etc. se for seguir a carreira de crimes, começe por vereador, é muito mais prático e seguro.

Os comentários estão encerrados.