Pesqueira: Índio xucuru é assassinado. Há indícios de emboscada


O índio xucuru José Lourival Frazão, 52 anos, conhecido como Louro Frazão, apareceu morto no Sítio Boa Esperança, no domingo, zona rural do município, com marcas de tiros calibre 12. A polícia ainda está investigando se o crime tem relação com as desavenças entre os dois grupos da tribo (de Cimbres e Ororubá), que já renderam mortes dos dois lados.
A polícia acredita que Louro Frazão estava sozinho quando foi assassinado. Há indícios de emboscada. O corpo foi localizado por volta das 10h do domingo. Louro é apontado como protagonista nos conflitos indígenas no município.

O Sítio Boa Esperança, onde vivia o índio, fica próximo à Vila de Cimbres. Louro Frazão trabalhava como agricultor. O sepultamento dele aconteceu às 16h, na Aldeia Esperança.

A disputa entre as tribos xucuru das Vilas de Cimbres e Ororubá tem origem territorial. O conflito já rendeu mortes dos dois lados. Louro frazão, inclusive, já havia sido preso. Ele foi acusado de matar dois índios, em fevereiro de 2003, durante um confronto entre os grupos. No mesmo episódio, ficou ferido o cacique Marcos Luidson (Marquinhos), da tribo xucuru.

Em agosto do ano passado, o índio José Ivanildo Santana, 34, foi executado durante uma partida de futebol, na Serra Ororubá, em Pesqueira. Na época, a polícia descartou que o homicídio tivesse ligação com a luta entre os grupos xucuru.

A Fundação Nacional do Índio (Funai) estima que, por causa do conflito fundiário, 149 famílias indígenas tiveram que abandonar suas terras. Por sete anos, a entidade precisou pagar aluguel e cestas básicas para o grupo.

No início deste mês, a Funai comprou sete fazendas e destinou as propriedades para as famílias desalojadas. A distribuição dessas áreas, que somam 1.150 hectares e estão localizadas nos municípios de Alagoinha, Pedra, Pesqueira e Venturosa, foi considerada pela Funai como o encerramento do impasse. Custaram, no total, R$ 587.786,16. As informações são do Jornal do Commercio.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.