Fidel Castro reconhece erro de perseguir homossexuais


das agências internacionais

HAVANA – O ex-presidente cubano Fidel Castro admitiu ontem que seu governo perseguiu homossexuais entre 1960 e o começo dos anos 1970. “Aqueles foram momentos de grande injustiça”, disse ele, ao jornal mexicano La Jornada. Na época, gays e lésbicas foram exonerados de cargos públicos, presos ou enviados a campos de trabalho forçado.

Na entrevista, Fidel reconheceu que foi um erro demitir membros homossexuais do governo e enviar pessoas com essa orientação sexual para trabalho compulsório. “Sim, nós fizemos isso”, afirmou, para em seguida completar: “Eu estou tentando limitar minha responsabilidade nisso tudo, porque, óbvio, eu pessoalmente não tenho esse tipo de preconceito”.

Porém, ao ser pressionado para dizer se foi o Partido Comunista ou alguma outra entidade que estava por trás das perseguições, Castro chamou a responsabilidade para si. “Não. Se alguém é responsável, sou eu”, enfatizou.

De acordo com Fidel Castro, afastado do poder desde 2006, quando foi acometido de uma grave doença gastrointestinal, eventos como a crise dos mísseis, em 1962, impediram que as perseguições fossem paralisadas. “Tínhamos tantos e tão terríveis problemas, problemas de vida ou morte, que não prestamos atenção suficiente”, esquivou-se.

Campanhas do governo agora desencorajam a homofobia e o Estado cubano já paga por operações de mudança de sexo para transexuais.

Mariela, sobrinha de Fidel e filha do atual líder do regime, Raúl Castro, é atualmente uma das lideranças dos direitos homossexuais na ilha.

Fidel Castro já havia comentado anteriormente a questão em entrevistas concedidas ao jornalista francês Ignacio Ramonet entre os anos de 2003 e 2005. “Eu gosto de pensar que a discriminação contra os homossexuais é um problema que está sendo superado”, declarou ele a Ramonet. “Velhos preconceitos e visões estreitas serão, cada vez mais, coisas do passado”, completou. As entrevistas ao francês resultaram no livro Fidel Castro – Biografia a duas vozes.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.