EDITORIAL: Seu voto decide o destino do país


Faltam 20 dias para as eleições de 3 de outubro. Para alguns, principalmente candidatos, um tempo enorme. Para muitos, nada incomum, enquanto outra parte começa a prestar mais atenção às movimentações dos que postulam cargos, para enfim decidir em quem votar.

É a chamada reta final da campanha, fase em que os candidatos intensificam a busca de votos. Mas, enquanto para os postulantes é hora de acelerar, para o eleitor a hora é de reflexão, sobretudo para aqueles que ainda não escolheram seus candidatos.

É que as eleições que se aproximam são muito importantes. Da escolha feita nas urnas depende o futuro de todo o País.

É essa importância decisiva do voto que destaca a terceira fase da campanha de esclarecimento ao eleitor desenvolvida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A divulgação foi iniciada na sexta-feira (10) e se estenderá até o dia 3 de outubro.

“Escolher seu candidato é tomar uma decisão importante. Até as eleições, você pode pesquisar e debater com outras pessoas sobre as melhores opções. Mas na hora de votar, sua decisão é soberana e ninguém pode influenciar você”, alerta um dos novos vídeos da campanha do TSE.

Como se vê, a campanha foi criada também com o objetivo de comunicar aos eleitores as implicações do ato de votar. O conceito da campanha apresenta o eleitor como um instrumento de transformação, mostrando que ele tem o poder de decisão em suas mãos. Ou seja, ressalta que da escolha feita nas urnas pelo eleitor depende o seu futuro e o de todo o País.

Por conhecer profundamente os métodos coercitivos empregados por muitos candidatos, o TSE ressalta na campanha que o eleitor é soberano na hora do voto e que não deve se deixar intimidar por qualquer tipo de pressão. “Se você se sentir pressionado a votar em determinado candidato, não se intimide e faça valer sua opinião na urna. Porque o voto é secreto e com a urna eletrônica ninguém tem como descobrir em quem você votou”, alerta em um dos vídeos.

Infelizmente, a intimidação que o TSE procura combater é praticada criminosamente por muitos candidatos, que pressionam justamente as pessoas mais humildes, mais fragilizadas, depois de lhes cercar de “gentilezas” ilegais.

Daí a importância de se discutir e de se alertar o eleitor para essa prática criminosa, de maneira que ele realmente possa fazer valer sua opinião nas urnas, escolhendo seu destino.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para EDITORIAL: Seu voto decide o destino do país

  1. O TSE faz uma campanha ótima, pena que não tenha 2% do poder de persuação do programa oficial de compra de votos.
    O PBF, né não lulla?

Os comentários estão encerrados.