EDITORIAL: Pelo voto ético e consciente


A duas semanas das eleições crescem as manifestações de organismos e entidades pelo voto consciente, dada a importância das escolhas a serem feitas no dia 3 de outubro, quando estaremos elegendo deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente da República.

Na semana passada a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota reiterando o apelo pelo “voto ético, esclarecido e consciente” nas eleições de outubro.

Isso mesmo, apelo. Na nota, a entidade ligada à Igreja Católica adverte ser necessário superar “possíveis desencantos” com a política ao escolher “pessoas comprometidas.”

No apelo, os bispos estimulam que todos assumam o papel de cidadãos que pensam em melhorar o Brasil.
“Incentivamos a que todos participem e expressem, por meio do voto ético, esclarecido e consciente, a sua cidadania nas próximas eleições, superando possíveis desencantos com a política, procurando eleger pessoas comprometidas com o respeito incondicional à vida, à família, à liberdade religiosa e à dignidade humana”, diz a nota.

Dizem ainda os bispos do Brasil: “Em particular, encorajamos os leigos e as leigas da nossa Igreja a que assumam ativamente seu papel de cidadãos colaborando na construção de um país melhor para todos”.
A nota é assinada pelo presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha, pelo vice-presidente dom Luiz Soares Vieira, e pelo secretário-geral da instituição, dom Dimas Lara Barbosa.

A CNBB informou que a declaração da conferência é resultado da “consonância com a missão histórica” que segue a tradição de apresentar “princípios éticos, morais e cristãos fundamentais para ajudar os eleitores no discernimento do seu voto visando à consolidação da democracia entre nós.”

Alguns dias antes, na sexta-feira (10), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) iniciou a terceira fase da campanha de esclarecimento ao eleitor, que se estenderá até o dia 3 de outubro.

O conceito da campanha mostra o eleitor como um instrumento de transformação, afirmando que ele tem o poder de decisão em suas mãos, destacando que da escolha feita nas urnas pelo eleitor depende o seu futuro e do Brasil.

As campanhas e os apelos pelo voto consciente infelizmente ainda são uma necessidade grande e em todas as regiões do país. Sim, porque em todos os estados, em todas as cidades, de algum modo, ainda se assiste às intimidações, à humilhante compra dos votos.

Por isso mesmo o TSE alerta em um dos vídeos da campanha: “Se você se sentir pressionado a votar em determinado candidato, não se intimide e faça valer sua opinião na urna. Porque o voto é secreto e com a urna eletrônica ninguém tem como descobrir em quem você votou.”

Faça você também a sua parte. Na medida do possível, ajude no esclarecimento às pessoas que tenham dúvida acerca do sigilo das urnas eletrônicas e mesmo da importância do seu voto.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.