Estudantes dizem como escolhem seus candidatos


G1 ouviu adolescentes para saber o que eles pensam sobre eleições.
Para eles, educação é a área que mais merece atenção.

Vanessa Fajardo
Do G1, em São Paulo

Escândalos e casos de corrupção no cenário político são alguns dos fatores que afastam os jovens das urnas. É o que dizem os alunos do terceiro ano do ensino médio dos colégios Pio XII e Sion, em São Paulo, ouvidos pelo G1. Eles afirmam que a maioria dos amigos, com idades entre 16 e 18 anos, não vai votar no dia 3 de outubro porque não acredita em mudanças.

“Sinto um certo desencanto dos adolescentes pela política até em função do que veem dos casos de corrupção. Por isso as escolas devem desenvolver o processo de reflexão nos estudantes desde pequenos para fazê-los acreditar o quanto a participação é importante”, afirma Fátima Lopes dos Santos Miranda, orientadora educacional do ensino médio do Colégio Pio XII.

Se por um lado há o descrédito nos políticos, por outro há a certeza de que áreas como a educação precisa melhorar. “A educação é fundamental para que as pessoas desenvolvam o pensamento crítico, se aproximem da política e comecem a cobrar seus direitos”, diz Davi Finotti Ferreira, de 17 anos.

Confira outras opiniões:

“Gosto de política e aprendi isso com meus pais. Porém, os canais de TV para jovens quase nunca abordam o assunto. Nem mesmo as escolas dão informações sobre eleições e ensinam, por exemplo, quais as funções de cada político. Quantos brasileiros sabem a diferença entre votos brancos e nulos?”

Beatriz Viana, de 17 anos

“Os jovens deveriam se posicionar mais na política porque podem escolher o futuro do país. Mas também é necessário saber votar. Eu pesquisei o passado dos candidatos que escolhi. Vou votar apenas para presidente e governador porque não acredito no Senado.”

Rafael Greco, de 17 anos

“A política perdeu o foco por causa de tanta corrupção, mas acredito que ainda há futuro. Se o jovem pensar um pouco consegue mudar este estigma. Acho que a maioria dos jovens não vota porque não quer assumir mais uma responsabilidade, ainda mais na época do vestibular.”

Thalita Malachim, de 17 anos

“Pesquisei na internet o histórico dos principais candidatos. Mas, de um modo geral, os jovens não fazem isso. Já ouvi muitos falarem que vão votar em qualquer um porque um voto não vai fazer diferença.”

Luan Fernandes, de 17 anos

“Para muitos jovens, política é um assunto chato. Às vezes vota-se em um candidato porque ele é famoso, é cantor ou humorista, mas não dá para ser assim. Pelo que vi, nenhum desses famosos apresentou uma boa proposta. É importante pesquisar e saber votar.”

Ana Fernanda Guerra, de 17 anos

“O problema da política brasileira é a corrupção, o que a torna muito desestimulante. Mas também há os políticos honestos. Cabe a nós, jovens e eleitores de modo geral, fiscalizar e cobrar ações das pessoas que elegemos. Analisei propostas e pesquisei o passado dos candidatos que escolhi.”

Davi Finotti Ferreira, de 17 anos

“Não vou votar este ano porque acredito que ainda não esteja preparada. Mas espero que os próximos candidatos invistam em educação. Com a educação as outras áreas também melhoram.”

Beatriz Costella, de 17 anos

“Há muita coisa escondida nos bastidores da política, muito dinheiro jogado fora. Faltam investimentos na saúde e na educação. Não é à toa que a maioria dos jovens que eu conheço não vai votar. Espero que os próximos eleitos sejam mais honestos porque nós depositaremos confiança neles.”

Caio Canoas, de 17 anos

“Acompanhei os debates com os candidatos e acredito que os pais também influenciam na hora da escolha. Mas todos os eleitores deveriam pesquisar o passado e o histórico dos políticos antes de decidir em quem votar. Além do mais, os jovens têm de participar. Estamos aqui para fazer o futuro do pais.”

Rodrigo Zuanela, de 17 anos

“Pelo horário político não dá para colher informações sobre os candidatos. Há muita palhaçada. Os que parecem ter propostas sérias têm pouco tempo para falar. Espero que nos próximos anos haja uma melhora em educação, saúde e segurança.”

Yago Ranieri, de 17 anos

“Cada vez menos jovens se interessam pela política porque ela não passa mais confiança. Os casos de corrupção decepcionam e desestimulam os jovens a participar. Mas acredito que a política é a única forma que temos de mudar o país, não podemos desistir dela.”

Renan da Silva Assunção, de 17 anos

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em comportamento, Eleições 2010, Política. Bookmark o link permanente.