Armando e Humberto, eleitos novos senadores do Estado, devem abrir guerra pela sucessão de Eduardo


Do Blog de Jamildo

O voto casado funcionou mais uma vez em Pernambuco. Agora é Armando e Humberto trabalhando juntos pelo bem de nossa terra.

Com a ajuda da popularidade de Lula, o governador Eduardo Campos conseguiu eleger os dois candidados de situação, Humberto Costa, do PT, e Armando Monteiro Neto, do PTB.

Com o sucesso da estratégia, os dois novos senadores devem agora se matar para ver quem pode ser o candidato mais viável à sucessão de Eduardo Campos.

Como complicador, nenhum deles é o candidato do peito do socialista. Seria o secretário de Educação, Danilo Cabral, que precisa mostrar trabalho como deputado federal agora.

Na mesma Câmara dos Deputados, João Paulo também elege-se com uma boa votação e sai fortalecido, é um nome forte para a disputa majoritária, depois das eleições municipais. O seu problema é que dificilmente o PT o dará uma legenda novamente para concorrer.

O curioso na disputa pelo Senado foi o grave erro das pesquisas. Em nenhum momento elas apontavam o deputado federal Armando Neto como primeiro senador.

A mim, não surpreende.

Armando Neto, como presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), há muito tempo deixou de representar apenas os interesses de pernambuco. É agora um voto confiável para o grande capital no Senado. Nada mais natural que tenha arrecadado uma soma expressiva para tocar sua eleição.

Humberto Campos nunca foi um candidato muito competitivo e só chega agora a uma eleição levado pela onda lulista. Recebeu o voto do campo das esquerdas.

Por uma questão de coerência, com a eleição do senador do PT, devo admitir que cometi um erro de avaliação logo no começo da campanha. Releia o artigo Incoerência na chapa pode prejudicar Humberto Costa.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Eleições 2010. Bookmark o link permanente.