Cadeirante denuncia humilhação na hora de votar


Wilson Firmo

A eleitora Rubenita LIberal Bastos, de 47 anos, denunciou a “forma truculenta, ignorante” da juíza da 121ª zona eleitoral do Cabo de Santo Agostinho, Hélia Viegas. Ela é cadeirante há dois anos após ter sido vítima de tiro em assalto no ônibus que trabalhava como cobradora.

“Estou sendo obrigado a passar por este transtorno, constrangimento. Sou uma cidadã, consciente do meu dever. Eu tive duas alternativas.Fui obrigada a usar a pior”, disse ela, chorando e tremendo bastante, sob olhares de diversos eleitores.

Rubenita votou na escola particular Coração de Maria, na Vila Social. O local foi criticado por diversos ouvintes por conta das “péssimas” instalações. Lá estão funcionando oito sessões que normalmente funcionariam na Escola Municipal Carmencita Ramos.

“Os mesários atuam aqui sem mesas, limitando-se a trabalhar em carteiras escolares, sem a menor condição adequado para um bom funcionamento”, lamentou o eleitor Antônio Elias.

A juíza eleitora Hélia Viegas está sendo contatada para comentar as denúncias.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.