Geraldo Alckmin é eleito governador de SP


Com 99,08% das urnas apuradas, ele não pode mais ser alcançado.
Na campanha, tucano defendeu a expansão das Fatecs e Etecs.

Do G1, em São Paulo

O tucano Geraldo Alckmin foi eleito governador de São Paulo no primeiro turno com 50,63% dos votos e 99,08% das urnas apuradas às 22h25, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ele derrotou o senador petista Aloizio Mercadante, que teve 35,22%, mantendo o ciclo de administrações do PSDB em São Paulo, maior colégio eleitoral do país. O partido comanda o Palácio dos Bandeirantes desde 1994.

Celso Russomanno (PP) teve 5,42%, Paulo Skaf (PSB), 4,57%, Fabio Feldmann (PV), 4,14% e Anai Caproni (PCO), 0,02%.

Mancha (PSTU), Igor Grabois (PCB) e Paulo Bufalo (PSOL) não apareciam com votos computados até as 22h36 deste domingo (3).

Alckmin manteve-se à frente da disputa desde o início. Entre suas principais bandeiras de campanha estava a expansão das Fatecs e Etecs. Mercadante teve o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que veio a São Paulo durante a campanha para participar de comícios do petista, mas não conseguiu reverter o resultado.

Biografia
Geraldo José Rodrigues Alckmin Filho nasceu em 7 de novembro de 1952 em Pindamonhangaba. Professor e médico, é casado e tem três filhos. Foi eleito vereador em 1972, aos 19 anos, pelo antigo MDB. Quatro anos mais tarde, foi eleito prefeito de Pindamonhangaba.

Em 1982, foi eleito deputado estadual pelo PMDB e, depois, em 1986, deputado federal. Participou da Assembleia Nacional Constituinte em 1988. No mesmo ano, ingressou no PSDB. Dois anos depois, foi reeleito deputado federal.

Em 1994, foi eleito vice de Mário Covas (PSDB). Quatro anos depois, em 1998, a dupla tucana reelegeu-se. Com a morte de Covas, em 2001, assumiu o governo e se reelegeu como governador em 2002.

Após uma disputa interna no partido, conseguiu ser indicado candidato à Presidência pelo PSDB para concorrer às eleições de 2006. Acabou perdendo a disputa no segundo turno para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi reeleito.

Dois anos depois, enfrentou novamente uma disputa dentro do partido e candidatou-se à Prefeitura de São Paulo. Parte da legenda preferia abrir mão de um nome tucano para apoiar o prefeito Gilberto Kassab (DEM), aliado do então governador José Serra. Alckmin conseguiu se candidatar, mas deixou a disputa ainda no primeiro turno, em terceiro lugar, com 22,48% dos votos. Kassab foi reeleito.

No ano seguinte, convidado por Serra, Alckmin assumiu a Secretaria de Desenvolvimento do governo do estado.

Campanha
Durante a campanha, Alckmin enfrentou críticas de Mercadante principalmente sobre o custo dos pedágios, os índices de criminalidade e a qualidade da educação, principalmente no que se refere à progressão continuada.

O petista também usou contra o tucano o fato de o governo paulista ter enfrentado greves de policiais e professores.

Alckmin, por sua vez, acusou Mercadante de não ter experiência para ocupar o cargo e de ter faltado a sessões do Senado em que foram votados projetos de interesse do estado.

Propostas
Dentre as principais propostas do tucano estão o investimento de R$ 1 bilhão para a construção de creches com um total de 200 mil vagas, construção de 12 piscinões, o subsídio para o financiamento de casas para a população de baixa renda, a expansão das Fatecs e Etecs, concessão de bolsas para alunos do ensino médio estudarem idiomas e a urbanização de favelas. Alckmin teve o apoio do DEM, PPS, PMDB, PSC, PHS e PMN.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.