Derrotado, Jarbas chama Lula de ‘chefe de uma facção’ liderada por Dilma


Agência Folha
GABRIELA GUERREIRO
DE BRASÍLIA

Derrotado na disputa pelo governo de Pernambuco, o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) classificou nesta terça-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de “chefe de uma facção” liderada pela candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff.

Jarbas, que obteve somente 14,05% dos votos, contra 82,83% recebidos por Eduardo Campos (PSB), disse na tribuna do Senado que somente Lula considera que Dilma “tem qualificação para ocupar o cargo de presidente da República”.

“No Brasil, existem muitas facções, muitas deletérias, e isso talvez tenha mexido com a cabeça dele por ver pessoas comandando com entusiasmo uma facção e, em vez de se conduzir como presidente da República, se meteu no horário eleitoral, falava a toda hora e a todo o instante não mais como presidente.”

Ao lembrar que Lula tem 90% de popularidade em Pernambuco, Jarbas disse que o atual momento “vai passar” para que a oposição resgate seu espaço. “É um momento menor, é um momento de incompreensão, de injustiças, mas é o povo, e temos que respeitar aquilo que o povo quer, aquilo que o povo consagra.”

MARCO MACIEL

Além de Jarbas, o senador Marco Maciel (DEM-PE) reassumiu os trabalhos no Senado depois de sair derrotado nas urnas na disputa à reeleição em Pernambuco. Depois de 40 anos na vida pública, Maciel recebeu homenagens de colegas que se revezaram em discursos na tribuna do Senado para lembrar passagens de sua história política.

O senador disse que, apesar da derrota, vai manter a postura de combate às “violações” dos direitos do povo pernambucano. “Decidiram os eleitores não renovar o mandato que pleiteei. Isso não significa que deixarei de lutar por seus direitos, propugnar por sua ampliação e combater eventuais violações.”

Reeleito para mais um mandato no Senado, Demóstenes Torres (DEM-GO) disse que Maciel representa a “antítese” do que os governistas se transformaram no país. “Muitos gostariam de ver Vossa Excelência pelas costas porque Vossa Excelência representa a antítese do que eles são. É um homem probo, um homem honrado, um homem decente, ao contrário do que disseram no seu Estado.”

Aliado do governo federal, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) disse que apoiou os candidatos do governo no Estado por “lealdade” ao partido –o que não impediu o petista de gravar depoimento em solidariedade a Maciel divulgado durante a campanha em Pernambuco.

“Isso não implicava retirar as palavras daquilo que tem sido a nossa convivência aqui, com o objetivo maior de servir ao povo brasileiro e ao aperfeiçoamento de nossas instituições.”

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Eleições 2010, Política. Bookmark o link permanente.