Recife em alerta contra o sarampo


Equipes farão busca ativa de casos suspeitos em todo o município.


DA REDAÇÃO DO TP

Todas as unidades de saúde públicas e particulares do Recife estão sendo alertadas com o objetivo de identificar, oportunamente, a ocorrência de casos suspeitos de sarampo, assim como notificar as ocorrências – imediatamente -, em até 24 horas, à Secretaria de Saúde.

O alerta é decorrente do surto de sarampo que se estabeleceu no vizinho estado da Paraíba. A Prefeitura do Recife intensificou as ações de vigilância no Município por meio de duas linhas estratégicas de controle: a epidemiológica e a imunização. Essas ações têm como objetivo garantir a tranquilidade da população que, desde o ano de 2000, não apresenta casos de sarampo na Cidade.

Em casos de suspeita do vírus, amostras de sangue e de espécimes clínicos, como secreções orais e de urina, serão coletados para a identificação e enviados ao Laboratório Municipal. Além disso, as equipes da gerência farão busca ativa de casos suspeitos não notificados em todas as unidades (hospitais, unidades básicas, laboratórios e clínicas).

Com relação à vacina, o Programa Municipal de Imunização do Recife chama a atenção dos profissionais da rede de Turismo que trabalham diretamente com pessoas que possam trazer o vírus para a Cidade. Por esse motivo, funcionários de hotéis, aeroporto, rodoviária, taxistas e guias de turismo terão prioridade de vacinação.

Além das crianças, que precisam seguir o calendário básico de vacinação, devem procurar as unidades de saúde as pessoas que não tomaram o reforço da vacina até os seis anos, aquelas que não lembram se fizeram este procedimento quando criança, ou as pessoas que visitaram recentemente o estado da Paraíba.
VACINAÇÃO – Para se vacinar e/ou atualizar a vacina contra o Sarampo, os profissionais da rede municipal de saúde foram orientados a proceder da seguinte maneira:

1. Faixa etária de 01 a 06 anos – realizar a vacinação de acordo com o calendário básico;
2. Faixa etária de 07 a 19 anos – receberão a primeira dose da vacina tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e a segunda dose após 30 dias;
3. Em caso de comprovação de apenas uma (01) dose, administra a segunda dose para a faixa etária de 01 a 19 anos;
4. Faixa etária de 20 a 39 anos – receberão uma dose da vacina tríplice viral. Considerar vacinados todos que apresentarem uma dose da vacina tríplice viral ou da vacina dupla viral (rubéola e sarampo);
5. Acima de 40 anos – avaliar de acordo com a situação epidemiológica local. Se necessário, administrar uma dose da vacina.

A DOENÇA – O sarampo é uma doença infecciosa, altamente contagiosa que faz parte do grupo das doenças que se manifestam por alterações marcantes da pele e com comprometimento de vários órgãos. A doença é causada por um vírus chamado morbili vírus e é transmitida por gotículas da respiração e pelo ar. O período de contaminação se inicia 3 a 4 dias antes e vai até 4 a 5 dias após o surgimento das lesões da pele. O tempo que leva entre a contaminação e o aparecimento dos sintomas (período de incubação) é em média 2 semanas. Febre muito alta, tosse intensa, coriza, conjuntivite e pele com placas ásperas avermelhadas, são os principais sintomas.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Administração Pública, Recife, Saúde. Bookmark o link permanente.