ENTREVISTA: Betinho Gomes espera articular bancada da Grande Suape


JOSÉ AMBRÓSIO

Eleito para novo mandato de deputado estadual com a sétima maior votação do Estado (65.792 votos), Betinho Gomes (PSDB) afirma que será um permanente cobrador de ações que beneficiem as cidades que representa, em especial o Cabo de Sano Agostinho, onde tem domicílio eleitoral e já disputou a Prefeitura do município. Afeito ao diálogo, ele anuncia que vai procurar os outros seis parlamentares eleitos pela região da Grande Suape (Ipojuca, Cabo, Jaboatão e Escada) para discutir ações conjuntas. O fato de não integrar a base de apoio do governador reeleito Eduardo Campos (PSB) não o preocupa: “Nem sempre o fato de se ser aliado do governo significa que se vá fazer algo. Tem deputado que é aliado e nada fez durante muito tempo. Vou atuar para cobrar os direitos da população, o que vou fazer com muita vontade, e espero que o governo atenda nossos pleitos”, ressalta Betinho Gomes. Segue a entrevista concedida na quinta-feira (7), durante visita à redação do jornal Tribuna Popular.

TRIBUNA POPULAR – A que o senhor atribui essa votação expressiva, quando há quatros anos não conseguiu se reeleger à Assembleia Legislativa?

BETINHO GOMES
– A muito trabalho, esforço e às bandeiras que apresentamos.

TP – Adversários seus do Cabo de Santo Agostinho tentaram desconstruir sua candidatura afirmando que o senhor concentraria esforços em benefício de Jaboatão, administrado por seu pai, o prefeito Elias Gomes. Como vai responder a essas afirmações?

BG – Esse é um argumento vazio e medíocre. Disputamos uma eleição para deputado estadual e vou representar o Estado de Pernambuco. Agora, tenho uma relação muito íntima com a cidade do Cabo e vou a representar bem, assim como vou representar Jaboatão, Bom Jardim, Moreno, Recife e a Região Metropolitana, onde tive expressiva votação. Vou defender todas essas cidades, mas tendo uma atenção especial com o Cabo.

TP – O senhor percorreu várias cidades durante a campanha e pode constatar as maiores necessidades dos pernambucanos. Para o Cabo, especificamente, já sabe onde concentrar esforços?

BG – Nossa intenção é trazer mais investimentos para a educação, saúde, qualificação profissional e seneamento. São questões cruciais para o Cabo e a Região Metropolitana.

TP – O deputado Everaldo Cabral não estaria atuando a contento nessas áreas?

BG – Não quero julgar o mandato de Everaldo Cabral. Isso cabe à população. Assumindo o mandato, vou dar uma grande contribuição para a cidade do Cabo e Pernambuco, mobilizando as energias da sociedade em defesa de ações que fortaleçam a cidadania e os direitos do nosso povo.

TP – Por falar em Everaldo Cabral, o senhor vai procurá-lo para que some esforços a seus pleitos a favor do Cabo?

BG – Terei sempre a capacidade de dialogar com quem quer que seja. Tanto que já honrei meu compromisso de campanha de procurar o prefeito do Cabo, Lula Cabral. Telefonei e pedi audiência. Ele ficou de marcar. Espero que aconteça logo, pois é importante que a gente possa discutir os interesses da cidade, deixando de lado a rixa política.

TP – E Jaboatão dos Guararapes, o que deve esperar da sua atuação?

BG – Vamos ter um diálogo permanente com o prefeito Elias Gomes, para também defender os interesses da cidade. Acho que Cabo, Jaboatão, Moreno e Ipojuca precisam se reunir para construir estratégias comuns, pois têm problemas semelhantes e é preciso um enfrentamento conjunto.

TP – A região da Grande Suape (Ipojuca, Cabo, Jaboatão e Escada) elegeu sete parlamentares. È possível uma atuação articulada em benefício da área?

BG – A região está recebendo grandes investimentos, mas ainda tem muitos problemas. Se tivermos o mínimo de unidade e capacidade de dialogar é possível sim se desenvolver ações conjuntas. Vou tentar fazer isso na Assembleia.

TP – O senhor foi eleito com a sétima maior votação do Estado e a maior dos partidos que não integram a base governista. Isso poderá tornar-se empecilho forte a seu desempenho?

BG – Nem sempre o fato de se ser aliado do governo significa que se vá fazer algo. Tem deputado que é aliado e nada fez durante muito tempo. Vou atuar para cobrar os direitos da população, o que vou fazer com muita vontade e espero que o governo atenda nossos pleitos.

TP – Como será a sua relação com o governador Eduardo Campos (PSB), reeleito com amplo apoio popular?

BG – Uma relação de respeito, evidentemente, mas vou cobrar. Acho que essa tem que ser a postura de qualquer parlamentar, seja governista ou não. O parlamentar tem que ser um cobrador permanente de ações em favor das cidades que representa. Não dá pra ficar calado o tempo todo só porque se é aliado. Tem que falar, cobrar e saber articular.

TP – O senhor passou quatro anos fora do Parlamento. Agora, mais experiente, quais os erros que espera não mais repetir?

BG – Vou fazer um mandato ainda mais aberto para a população, com mais interação, ouvindo mais as pessoas. Acho que isso será crucial para acertar mais e errar menos. Farei isso na base da transparência e da mobilização.

TP – Quais os principais desafios do Parlamento pernambucano para a próxima legislatura?

BG – O Parlamento precisa ser mais transparente. A população precisa participar mais das discussões que acontecem na Assembleia Legislativa. Aproximar-se mais da população será fundamental para que o Parlamento seja mais respeitado.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Eleições 2010, Política. Bookmark o link permanente.