EDITORIAL: Um Brasil mais verde e mais plural


Os brasileiros decidiram somente decidir quem irá comandar os destinos do país pelos próximos quatro anos no dia 31 de outubro, em segundo turno, provocado, sem dúvida, pela verde, mas madura Marina Silva. Muitos viram em Marina qualidades e propostas que não enxergam nos dois finalistas, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), e com isso ganharam tempo para melhor observar a ambos.

E é isso o que estão fazendo agora os mais de 135 milhões de eleitores, inclusive os que se abstiveram, que foram 24,6 milhões, o equivalente a 18,12% do eleitorado brasileiro. Um índice bastante alto, o que revela que são muitas ainda as dúvidas sobre a quem entregar o poder.

Esse número de descontentes se torna ainda maior que quando são somados os votos nulos (6,1 milhões) e os votos em branco (3,5 milhões). Um total de 34,2 milhões de brasileiros que deixaram de ir às urnas ou se negaram a optar por um dos postulantes, inclusive quando eles ainda eram nove e representavam uma pluralidade de propostas e programas partidários.

Os políticos e os marqueteiros estão debruçados sobre esses índices e números, buscando a melhor forma de chegar perto e convencer o eleitor de que seu candidato ou sua candidata representa a melhor opção.

O cerco a Marina Silva começou no domingo 3 de outubro, quando o quadro foi definido. Na verdade começou antes, de forma discreta, para não melindrar a senadora que a cada nova rodada de pesquisas crescia na intenção de votos. O apoio do PV (Marina) é visto como sendo fundamental para as pretensões dos finalistas.

O programa eleitoral gratuito no rádio e na TV começou na sexta-feira (8). Os candidatos têm até o dia 29 para conquistar esse enorme contingente de eleitores. É claro que o convencimento não se dá apenas por esse instrumento de campanha, mas ele tem grande importância. A própria Marina ampliou em muito a sua votação com o horário eleitoral gratuito, o chamado guia eleitoral.

Pelos próximos 18 dias a batalha será intensa, com Dilma e Serra expondo suas propostas que certamente deverão mesclar os tons vermelho e azul com um pouco de verde. Isso também considerando que existem muitos eleitores “roxos” com o que assistem na política brasileira, marcada por sucessivos escândalos que sangram os cofres públicos, manchando a dignidade da Nação e envergonhado milhões de brasileiros que anseiam e lutam por um Brasil mais plural e mais justo.

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.