Horário de verão deve gerar economia de 5% em horários de pico


Relógios devem ser adiantados em uma hora à 0h do dia 17 de outubro.
Urnas eletrônicas já estão programadas para fazer a adaptação.

Do G1, em São Paulo

O horário de verão deve gerar uma economia de 5% no consumo de energia nos horários de pico nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul, segundo o secretário de Energia do Ministério de Minas e Energia, Ildo Grüdtner. A redução de consumo prevista é a mesma verificada nos últimos anos.

O novo horário terá início neste domingo (17), quando os relógios deverão ser adiantados em uma hora nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul, e se estenderá até 20 de fevereiro de 2011.

O principal objetivo do horário de verão é aliviar a carga entre as 19 e as 21 horas, período em que a maior parte das pessoas chega em casa, toma banho, e a iluminação pública é acionada. Como os relógios são adiantados em uma hora, esse pico do consumo é diluído, pois a luz natural do dia é aproveitada por mais tempo.

Segundo Grüdtner, nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, a diminuição da demanda no horário de pico será de 1.945 megawatts (MW), o equivalente a duas vezes o consumo de Brasília (DF) no horário. Na região Sul, a redução da demanda entre o fim da tarde e o começo da noite será de 585 MW, o correspondente a 75% da demanda de Porto Alegre (RS) no horário. A redução geral do consumo, considerando todo o dia e não apenas o horário de pico, deverá ser de 0,5%.

Grüdtner também afirmou, segundo a Agência Brasil, que, diferente do que ocorreu em outras ocasiões, quando o horário de verão foi adiado para depois das eleições, a medida começará a vigorar este ano na data prevista porque as urnas eletrônicas já estão programadas para fazer a adaptação automaticamente.

Com informações da Agência Estado

Anúncios

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Economia. Bookmark o link permanente.