Cabo, Recife e Ipojuca estão entre as 50 cidades do Brasil que mais contrataram


Entre as 10 cidades que mais geraram vagas, apenas três não são capitais. Apenas uma capital demitiu mais do que contratou: Teresina (PI). De Pernambuco, são 8 as cidades com esse perfil

Mariana OliveiraDo G1, em São Paulo

Das dez cidades brasileiras que registraram o melhor desempenho na geração de emprego formal em setembro, somente três não são capitais, mostram os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego. Nesses locais, o bom desempenho é atribuído, entre outros fatores, ao crescimento do trabalho no setor sucroalcooleiro.

Nesta terça-feira (19), o governo divulgou os dados gerais e mostrou que foram criados 246 mil postos de trabalho com carteira assinada no mês. O valor não é recorde histórico para meses de setembro, ao contrário do que havia previsto o governo. No acumulado deste ano, porém, os números mostram que foram abertas 2,2 milhões de vagas com carteira assinada, o que representa recorde para os nove primeiros meses de um ano, de acordo com a série histórica do Caged.

Excluindo as capitais, os principais destaques do mês foram Coruripe (AL), Ipojuca (PE) e Rio Largo (AL), influenciadas pelo início da moagem da cana, entre outros fatores. O Caged só considera os dados das cidades com mais de 30 mil habitantes. Confira abaixo a lista das 50 cidades que mais geraram postos de trabalho em julho mais as capitais (em negrito).

Cidade Saldo de vagas
(diferença entre contratações e demissões)
São Paulo (SP) 22.382
Rio de Janeiro (RJ) 12.310
Belo Horizonte (MG) 8.792
Coruripe (AL) 6.087
Fortaleza (CE) 5.669
6º Ipojuca (PE) 5.523
Recife (PE) 5.322
Curitiba (PR) 5.316
Brasília (DF) 4.190
Rio Largo (AL) 3.201
Guarulhos (SP) 3.176
Goiânia (GO) 2.885
Manaus (AM) 2.881
Natal (RN) 2.815
São Luis (MA) 2.539
Salvador (BA) 2.392
17º Cabo de Santo Agostinho (PE) 2.330
Sirinhaem (PE) 2.307
Porto Alegre (RS) 2.221
Campinas (SP) 2.169
Santo André (SP) 1.932
Porto Velho (RO) 1.834
Campo Alegre (AL) 1.797
Petrolina (PE) 1.791
Contagem (MG) 1.731
Penedo (AL) 1.649
Vitória de Santo Antão (PE) 1.572
Santa Rita (PB) 1.524
São Miguel dos Campos (AL) 1.434
Sorocaba (SP) 1.428
Marechal Deodoro (AL) 1.413
Uberlândia (MG) 1.369
Teotônio Vilela (AL) 1.330
Palmares (PE) 1.321
São Bernardo do Campo (SP) 1.305
Jundiaí (SP) 1.245
Feira de Santana (BA) 1.227
Joinville (SC) 1.200
Lauro de Freitas (BA) 1.187
Betim (MG) 1.109
Caxias do Sul (RS) 1.109
Ceará-Mirim (RN) 953
Macaé (RJ) 940
Mossoró (RN) 886
Duque de Caxias (RJ) 882
Ipatinga (MG) 881
São Caetano do Sul (SP) 862
Campos dos Goytacazes (RJ) 855
49º Jaboatão dos Guararapes (PE) 854
Ribeirão Preto (SP) 854
OUTRAS CAPITAIS
João Pessoa (PB) 822
Belém (PA) 742
Aracaju (SE) 737
Florianópolis (SC) 707
Boa Vista (RR) 548
Maceió (AL) 517
Campo Grande (MS) 509
Vitória (ES) 503
Cuiabá (MT) 469
Palmas (TO) 326
Macapá (AP) 288
Rio Branco (AC) 167
Teresina (PI) -75

Motivos
O prefeito de Coruripe (AL), Marques Belttrão, afirmou que no mês de setembro geralmente há acréscimo de vagas por conta da cana-de-açúcar. Ele destaca, no entanto, que o anúncio feito no começo do ano da instalação de um estaleiro tem movimentado a economia da cidade. “Diversas empresas já estão se instalando com o objetivo de prestar serviço para o estaleiro e isso atrai investimentos para a cidade, influenciando na geração de emprego”, disse Beltrão.

A cidade de Ipojuca (PE), embora também seja forte no setor de cana, tem outros dois motivos para o bom resultado, de acordo com Ângelo Castelo Branco, assessor especial da prefeitura: a chegada da alta temporada para o turismo em razão da praia de Porto de Galinhas e o crescimento constante do setor industrial por conta do Complexo Industrial Portuário de Suape. “A alta temporada do turismo é grande, começa no final de agosto e vai até abril. Entre janeiro de 2010 e janeiro de 2011, a previsão é receber 750 mil turistas [em Porto de Galinhas]”, explicou Castelo Branco.

“Além do crescimento constante do emprego industrial por conta do Complexo de Suape, a alta temporada do verão coincide com o início da safra da cana-de-açúcar”, completou.

Demissões
Entre as 50 cidades que mais demitiram do que contrataram no mês não há capitais  O município com o pior resultado na geração de vagas foi Santa Cruz do Sul (RS). Nesse caso, trata-se de um fator já esperado, uma vez que a cidade tem sua economias muito dependente da plantação de fumo e este é o período de fim de safra, quando muitos empregados são dispensados.

Veja abaixo tabela com os 50 municípios que mais demitiram do que contrataram no mês.

Cidade Diferença entre contratações e demissões
Santa Cruz do Sul (RS) -1.287
Três Pontas (MG) -1.180
Patrocínio (MG) -1.166
Pirassununga (SP) -690
Tucurui (PA) -547
Itápolis (SP) -546
Monte Carmelo (MG) -525
Vacaria (RS) -442
Boa Esperança (MG) -413
Venâncio Aires (RS) -392
Cajamar (SP) -388
Altinópolis (SP) -382
Itumbiara (GO) -360
Patos de Minas (MG) -359
Serrana (SP) -331
Garça (SP) -313
Rolândia (PR) -297
Cáceres (MT) -277
Alfenas (MG) -276
Araraquara (SP) -269
Capivari (SP) -268
São Sebastião do Paraíso (MG) -260
Pedregulho (SP) -255
Machado (MG) -241
Dois Córregos (SP) -238
União (PI) -237
Santa Rita do Sapucaí (MG) -236
Niquelândia (GO) -235
Serrinha (BA) -234
João Pinheiro (MG) -230
Pindorama (SP) -222
Flórida Paulista (SP) -219
Monte Aprazível (SP) -219
Tabatinga (SP) -192
Oliveira (MG) -191
São Mateus do Sul (PR) -187
Caraguatatuba (SP) -183
Dracena (SP) -177
Guaxupé (MG) -175
São Manuel (SP) -174
Capelinha (MG) -170
Mauá (SP) -167
Diamantina (MG) -163
Ibaté (SP) -160
São Sebastião da Grama (SP) -158
Xique-Xique (BA) -154
Lins (SP) -149
Casa Branca (SP) -146
Sertânia (PE) -144
Tarumã (SP) -143

Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.