Mortes por dengue e casos notificados no País sobem 90% em 2010



Segundo resultado parcial do LIRAa, 15 municípios estão em risco de surto, incluindo 2 capitais.

RAFAEL MORAES MOURA – Agência Estado

SÃO PAULO – O número de mortes por dengue no Brasil passou de 312 de 1º de janeiro a 16 de outubro de 2009 para 592 no mesmo período de 2010, o que representa um aumento de quase 90%, segundo o Ministério da Saúde.

As notificações também cresceram 90%: de 489.819 no ano passado para 936.260 neste. Cerca de 70% das ocorrências concentram-se nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Acre, segundo Giovanini Coelho, coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue.

O Ministério da Saúde alega que a volta da circulação do tipo 1 da doença contribuiu para esse aumento. De acordo com o governo, em quase todos os Estados grande parte da população não tem imunidade a esse sorotipo. A dengue tipo 1 predominou no País no fim da década de 90.

Segundo resultado parcial do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), 15 municípios estão em situação de risco de surto da doença – entre eles duas capitais, Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO). Do total de municípios nessa situação, 11 estão no Nordeste, três no Norte e um no Sudeste.

Entre 2009 e 2010, o número de casos graves passou de 8.714 para 14.342. Para o verão de 2011, o ministério aponta dez Estados com risco muito alto de epidemia: Amazonas, Amapá, Maranhão, Ceará, Piauí, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Bahia e Rio de Janeiro, que deverão ser visitados pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão. “(A dengue) É um problema muito sério de saúde pública, estamos investindo no desenvolvimento de uma vacina, já temos o protótipo sendo testado, mas não teremos uma vacina disponível entre pelo menos 3 e 5 anos”, afirmou o ministro.

Campanha

Nesta quinta-feira, 11, Temporão lançou uma nova edição da Campanha Nacional de Combate à Dengue, com o título “Dengue – Se você pode agir, podemos evitar”. “Em algumas regiões, o problema é lixo, em outras é água, em outros está dentro de casa. Todos os gestores têm instrumentos que vão permitir mapear a situação por bairro”, disse. Para o ministro, o cenário deste verão é “tão preocupante” quanto o do ano passado. O governo informou que foi destinado R$ 1 bilhão para ações de controle da doença, incluindo aquisição de equipamentos, medicamentos e campanha na mídia.

Temporão destacou a contenção da dengue tipo 4, em Roraima, que voltou a circular no Brasil após 28 anos. “Nós impedimos que esse vírus saísse de Roraima e circulasse por todo o País”, completou. Foram confirmados dez casos de dengue tipo 4 em Roraima, entre julho e agosto deste ano, sem registro de óbitos.



Sobre Da Redação do TP

Contatos com a Redação: (81) 3518-1755 ou jornalismo@jornaltribunapopular.com
Esse post foi publicado em Administração Pública, Saúde. Bookmark o link permanente.